sexta-feira, 6 de maio de 2011

O Mundo Romano no apogeu do Império

A cidade de Roma, fundada em meados do século VII a.C., tornou-se a capital do primeiro grande império do Ocidente.
Depois de ter conquistado a península Itálica, o domínio Romano estendeu-se a toda a região do Mediterrâneo, tendo atingido o seu apogeu no século II d.C.
A fim de unificar todo o Império e de integrar na Civilização Romana os diferentes povos conquistados, as autoridades de Roma serviram-se de um conjunto de elementos de romanização:
- A língua latina, o direito romano a cultura e os modos de vida.
A concessão da cidadania a todos os habitantes do Império, as legiões romanas (exércitos), as vias de comunicação e os mercadores facilitaram a romanização.
A Civilização Romana foi a mais poderosa da Antiguidade.
O Império deixou de existir em 476 mas legou-nos uma vasta herança que ainda hoje se faz sentir em domínios como o urbanismo, o direito, a administração, a língua e a cultura.


  Os Romanos no Ocidente da Península Ibérica
A chegada das primeiras tropas romanas à Península (218 a.C), deu-se por razões estratégicas da guerra entre Roma e Cartago pelo domínio do Mediterrâneo Ocidental. Depois, motivados pelos recursos económicos peninsulares (minerais, em particular), os Romanos lançaram-se na conquista do território que se concretizou no tempo do Imperador Octávio César Augusto.
Foi uma conquista difícil já que, entre outros, os Lusitanos – povo que vivia entre os rios Douro e Tejo – opuseram uma agressiva resistência (luta de guerrilhas) aos invasores romanos.
Nesta acção, desempenhou um importante papel o grande chefe Viriato, que conseguiu impor sérios desaires às tropas de Roma.
Após a conquista, os Romanos dividiram a Península Ibérica em três províncias – a Tarraconense, a Bética e a Lusitânia. Esta, com capital em Mérida (Emérita Augusta), abrangia a maior parte do actual território português (mais concretamente, entre os rios Douro e Guadiana.
Tal como nas demais partes do Império, os Romanos construíram no actual território português teatros, termas, templos, aquedutos e outros edifícios públicos.
Como principais testemunhos da presença romana destacam-se os espaços urbanos de Conímbriga, Miróbriga( Santiago do Cacém), e monumentos vários, como o Templo de Évora e a ponte de Chaves. Também em Braga (termas, templo, mercado) se encontram importantes vestígios da presença romana em Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário